O Líder, Coach e Gestor em equilíbrio

Foco no resultado como ação única do gestor.

“Foco no Resultado” – tenho ouvido muito isso nas empresas hoje em dia, e quando ele não vem, culpamos as pessoas que lideramos por isso, ou pior: culpamos o mercado, o governo, entre outros, mas nunca a nós mesmos.

Mas será que fizemos realmente a nossa parte?

Depois de algum tempo percebemos que está faltando algo, tanto para nós quanto para as pessoas que lideramos e que, em geral, imaginávamos ser de responsabilidade delas, e não nossa. Falta um processo sistêmico de desenvolvimento de competências, tanto técnicas quanto relacionais ou humanas. Falta a ação do coach.

Como líderes, normalmente optamos primeiro por ser gestores em busca do resultado e nos esquecemos dos aspectos humanos.

Gerimos pessoas como recursos.

É claro que é importante ser um bom gestor. A questão é que temos que assumir a liderança das pessoas. Caso contrário, elas – e nós mesmos – nos acomodamos e estagnamos. O bom líder estimula a equipe em torno de ideais humanos e utiliza as ferramentas do coaching para coordenar e estimular o processo de desenvolvimento de competências.

Os papéis de gestor, líder e coach, equilibrados, ajudam a obter resultados sustentáveis no longo prazo:

- O gestor foca no resultado, e cuida do dia a dia dos processos, das tarefas, dos sistemas e da infraestrutura necessária;
- O líder foca nas pessoas, e cuida das suas relações de mais alto nível no campo humano;
- O coach foca no conhecimento, e utiliza técnicas para criar as energias necessárias para que as pessoas queiram evoluir continuamente as suas competências.